Entre em contato agora mesmo:
Fone: (11) 5526-9760
(11) 94739-3200 (whatsapp)

PS - Poliestireno

O poliestireno é um homopolímero resultante da polimerização do monômero de estireno. Trata-se de uma resina do grupo dos termoplásticos, cuja característica reside na sua fácil flexibilidade ou moldabilidade sob a ação do calor, que a deixa em forma líquida ou pastosa. É a matéria-prima dos copos descartáveis, de lacres de barris de chope de várias outras peças de uso doméstico, além de embalagens.

O poliestireno expandido (EPS), mais conhecido no Brasil pelos nomes comerciais isopor e estiropor e, em Portugal, sob o nome de esferovite, é um plástico celular e rígido com variedade de formas e aplicações, e que apresenta-se como uma espuma moldada constituída por um aglomerado de grânulos.

É bastante utilizado em construção civil e na confecção de caixas térmicas para armazenamento de bebidas e alimentos. Sua presença no mercado consumidor, onde sua participação tem sido crescente, é fortalecida por sua leveza, sua capacidade de isolamento térmico e seu baixo custo. Para sua produção, a matéria prima passa por um processo de transformação física constituída de três etapas: pré-expansão, armazenamento intermediário e moldagem.

Tipos

Existem quatro tipos básicos de poliestireno:

  • PS cristal: homopolímero amorfo, duro, com brilho e elevado índice de refração. Pode receber aditivos lubrificantes para facilitar processamento. Usado em artigos de baixo custo, notadamente peças descartáveis tais como copos.
  • PS resistente ao calor: maior P.M., o que torna seu processamento mais difícil. Variante ideal para confecção de peças de máquinas ou automóveis, gabinetes de rádios e TV, grades de ar condicionado, peças internas e externas de eletrodomésticos e aparelhos eletrônicos, circuladores de ar, ventiladores e exaustores.
  • PS de alto impacto: contém de 5 a 10% de elastômero (borracha), que é incorporado através de mistura mecânica ou diretamente no processo de polimerização através de enxerto na cadeia polimérica. Obtém-se desse modo uma blenda. Muito usado na fabricação de utensílios domésticos (gavetas de geladeira) e brinquedos.
  • PS expandido: espuma semi-rígida com marca comercial Isopor®. O plástico é polimerizado na presença do agente expansor ou então o mesmo pode ser absorvido posteriormente. Durante o processamento do material aquecido ele se volatiliza, gerando as células no material. Baixa densidade e bom isolamento térmico. Aplicações: bandejas para embalagem de hortifruti, protetor de equipamentos, isolantes térmicos, pranchas para flutuação, geladeiras isotérmicas, etc.

Nos primórdios da moldagem por injeção, as resinas de poliestireno foram um fator importante no desenvolvimento deste processo. Conhecidas desde 1845, estas resinas somente adquiriram grande importância industrial no início da segunda guerra mundial e, atualmente, é um dos termoplásticos mais consumido sendo utilizado em processos de moldagem por injeção, sopro, termo formação, laminados, modificados com cargas minerais e fibras de vidro adquirindo característica de plásticos de engenharia.

Aplicações

    Entre as diversas aplicações, incluem-se:
  • Dado que é quimicamente bastante inerte se utiliza como substrato para o cultivo de orquídeas.
  • No aeromodelismo é usado na confecção de asas, profundores/estabilizadores, lemes e outros elementos aerodinâmicos com a vantagem da precisão e baixo peso e baixo valor comercial.

PP - Polipropileno

Polipropileno (PP) ou polipropeno é um polímero ou plástico, derivado do propeno ou propileno e reciclável.

O polipropileno é um tipo de plástico que pode ser moldado usando apenas aquecimento, ou seja, é um termoplástico. Possui propriedades muito semelhantes às do polietileno(PE), mas com ponto de amolecimento mais elevado.



Principais propriedades:

  • Baixo custo;
  • Elevada resistência química e a solventes;
  • Fácil moldagem;
  • Fácil coloração;
  • Alta resistência à fratura por flexão ou fadiga;
  • Boa resistência ao impacto acima de 15 °C;
  • Boa estabilidade térmica;
  • Maior sensibilidade à luz UV e agentes de oxidação, sofrendo degradação com maior facilidade.

Aplicações:

  • Brinquedos;
  • Bumerangues;
  • Copos Plásticos;
  • Recipientes para alimentos, remédios, produtos químicos;
  • Carcaças para eletrodomésticos;
  • Fibras;
  • Sacarias (ráfia);
  • Filmes orientados;
  • Tubos para cargas de canetas esferográficas;
  • Carpetes;
  • Seringas de injeção;
  • Material hospitalar esterilizável;
  • Como Invólucro para materiais altoclavaveis;
  • Autopeças (para-choques, pedais, carcaças de baterias, interior de estofos, lanternas, ventoinhas, ventiladores, peças diversas no habitáculo).
  • Peças para máquinas de lavar.
  • Material aquático(pranchas de bodyboard).
  • Cabos para ferramentas manuais.

Atualmente há uma tendência no sentido de se utilizar exclusivamente o PP no interior dos automóveis. Isso facilitaria a reciclagem do material por ocasião do sucateamento do veículo, pois se saberia com qual material se estaria lidando.

PE - Polietileno (PE, PEBD e PEAD)

O polietileno (ou polieteno, de acordo com a denominação oficial da IUPAC) é quimicamente o polímero mais simples. É representado pela cadeia: (CH2-CH2)n. Devido à sua alta produção mundial, é também o mais barato, sendo um dos tipos de plástico mais comum. É quimicamente inerte. Obtém-se pela polimerização do etileno (de fórmula química CH2=CH2, e chamado de eteno pela IUPAC), de que deriva seu nome.

Este polímero pode ser produzido por diferentes reações de polimerização, como por exemplo a polimerização por radicais livres, polimerização aniônica, polimerização por coordenação de íons ou polimerização catiônica. Cada um destes mecanismos de reação produz um tipo diferente de polietileno.

É um polímero de cadeia linear não ramificada, embora as ramificações sejam comuns nos produtos comerciais. As cadeias de polietileno se rompem sob a temperatura de arrefecimento Tg em regiões amorfas e semi-cristalinas.

A abreviatura do polietileno geralmente usada é PE. Os polietilenos podem ser classificados em:

PEBD: Polietileno de Baixa Densidade;
  • Atóxico
  • Flexível
  • Leve
  • Transparente
  • Inerte (ao conteúdo)
  • Impermeável
  • Pouca estabilidade dimensional, mas com processamento fácil
  • Baixo custo
PEAD: Polietileno de Alta Densidade;
  • Resistente a altas temperaturas;
  • Alta resistência à tensão; compressão; tração;
  • Baixa densidade em comparação com metais e outros materiais;
  • Impermeável;
  • Inerte (ao conteúdo), baixa reatividade;
  • Atóxico
  • Pouca estabilidade dimensional
PELBD: Polietileno linear de baixa densidade;
UHWPE: Polietileno de massa molecular ultra-alta;
PEX: Polietileno com formação de rede.

Aplicações

PEBD:

  • Bolsas de todo tipo: supermercados, boutiques, panificação, congelados, industriais, etc.;
  • Embalagem automática de alimentos e produtos industriais: leite, água, plásticos, etc.; Stretch film;
  • Garrafas térmicas e outros produtos térmicos;
  • Frascos: cosméticos, medicamentos e alimentos;
  • Mangueiras para água;

PEAD:

  • Frascos para: detergentes, shampoo, etc;
  • Bolsas para supermercados;
  • Caixotes para peixes, refrigerantes, cervejas;
  • Frascos para pintura, sorvetes, azeites;
  • Tambores;
  • Tubulação para gás, telefonia, água potável, lâminas de drenagem e uso sanitário;
  • Também é usado para recobrir lagoas, canais, fossas de neutralização, contra-tanques, tanques de água, lagoas artificiais, etc...